A DULPA

Duo

Porquê coreografar também objectos?
Qual o papel que um coregrafo(a) pode ter a deliberar sobre a forma como os sons de uma composição sonora se movimentam no espaço “surround”, será isto coreografia?

Algoritmos invisíveis decidem sobre o que vai aparecer no próximo tempo de ecrã dos nossos dispositivos electrónicos, definem como dançam os nosso olhos entre um e outro instante de ecrã?

O movimento das coisas, visíveis e invisíveis está por todo o lado, que tempo damos à contemplação activa da nossa envolvente?

Falamos uns com os outros à distância, sem fios por canais invisíveis de comunicação, ajudados por ondas que vão e vêm dos satélites para lá da estratosfera, que atenção damos nós ao vizinho da porta ao lado?

Podemos então coreografar até coisas invisíveis como o som?

Quem tentar responder a estas perguntas não terá dificuldade em perceber porque razão uma bailarina e coreógrafa se junta a um pianista compositor para elaborar obras de arte com um pé nas artes visuais e outro pé nas artes performativas.

A paixão pela causalidade e a necessidade de contemplação activa dá o combustível à dupla de artistas Marta Cerqueira e Simão Costa. Em paralelo com as suas carreiras a solo ou em diversos formatos e colaborações com outros criadores contemporâneos, nasce um território comum, uma poética partilhada. 

Todas as informações visuais em movimento determinam/reclamam um coreógrafo(a)
Todos as informações auditivas determinam/reclamam um compositor(a)

Somos todos filhos do pó do universo, matéria relativamente inerte apesar de viva.
Todos temos corpos em movimento, todos dançamos “Dança de Materiais Inertes”.

 

Choreograph objects as well? Why? What role can a choreographer play in decision making process  of composing a “surround” sound space, is this choreography?

 

Invisible algorithms decide what will appear in the next screen time of our electronic devices. They decide about the dance our eyes perform in front of the screen? The movement of things, visible and invisible is everywhere. how much time do we spend in active contemplation of our surroundings? We talk to each other at a distance, wirelessly through invisible channels of communication, aided by waves that come and go from satellites beyond the stratosphere. What attention span we give to our neighbor next door?

 

Can we choreograph invisible things like sound? 

Whoever tries to answer these questions will have no difficulty in understanding why a dancer and choreographer joins a music composer and  pianist to create artworks influenced by visual arts and performing arts. 

 

The passion for causality and the need for active contemplation gives fuel to the artists Marta Cerqueira and Simão Costa. In parallel with solo careers in “Dança de Materiais Inertes” common territory and shared poetics is born.

All visual information in motion determines / claims a choreographer. All auditory information determines / claims a composer. We are came from dust of the universe, we are relatively inert matter despite being alive. We all have bodies in motion, we all dance “Dance of Inert Materials”.